DPMG forma a primeira turma de defensoras populares


Por Ascom em 20 de dezembro de 2017

A Escola Superior da Defensoria Pública (Esdep) e a Defensoria Especializada na Defesa das Mulheres em Situação de Violência realizaram a formatura da primeira turma do curso “Defensoras Populares”. O evento aconteceu na segunda-feira (18/12), no auditório da Cemig.

Compuseram a mesa de honra: defensora pública e coordenadora pedagógica do curso, Samantha Vilarinho Mello Alves; vereadora Áurea Carolina; chefe do Núcleo de Suporte a Projetos Institucionais e Assuntos Internacionais, Luiz Carlos Garcia, representando a secretária adjunta de Casa Civil e Relações Institucionais, Mariah Brochado; diretora da Esdep, Hellen Caires Teixeira Brandão; coordenadora de Projetos e Convênios, Tífanie Avellar Carvalho, representando a defensora-geral, Christiane Malard; subsecretária estadual de Políticas para Mulheres, Larissa Amorim; assessora parlamentar Fernanda Ataíde, representando a deputada estadual Marília Campos; diretora Municipal de Políticas para Mulheres, Viviane Coelho, representando a secretária Municipal de Assistência Social, Segurança Alimentar e Cidadania (SMASAC), Maíra Colares; e o defensor público e conselheiro Richarles Caetano Rios, representando o Conselho Superior da DPMG

A defensora pública-geral do Estado, Christiane Neves Procópio Malard, foi representada pela coordenadora de Projetos e Convênios, Tífanie Avellar Carvalho.

Multiplicar vozes e empoderar a mulher

Em mensagem lida pela coordenadora, a defensora-geral, Christiane Malard, enfatizou a educação em direitos como uma das missões da Defensoria Pública e a proposta da capacitação, de multiplicar vozes e empoderar a mulher. “Cumprimos a ideia matriz de capacitar lideranças populares com louvor, com um curso voltado aos direitos humanos e à valorização do papel da mulher empoderada na sociedade contemporânea”.

Christiane Malard parabenizou as 114 formandas, “mulheres atentas e preparadas para contribuir para a superação dos desafios da vida da mulher, em uma sociedade ainda muito marcada pelo patriarcado. Os desafios são enormes, mas vocês multiplicarão soluções, afirmou”.

A coordenadora de Projetos e Convênios, Tífanie Avellar, representou a DPG

A defensora-geral agradeceu à diretora da Esdep, Hellen Caires Teixeira Brandão, “pelo brilhante trabalho e empenho”; à defensora pública e coordenadora pedagógica do curso, Samantha Vilarinho Mello Alves, “pela dedicação e comprometimento”; às professoras do curso; e aos servidores e estagiários da Instituição. Christiane Malard rendeu agradecimentos também às instituições parceiras da capacitação, Poder Judiciário, Ministério Público; além dos poderes Legislativo e Executivo.

Empatia e sororidade

Em sua fala como oradora da turma, a formanda Simone Miranda Soares destacou a entrega das mulheres alunas “que se dispuseram a colocar de lado seus sofrimentos e interesses próprios para se capacitarem. Muitas vezes revivendo situações de sofrimento, mexendo em feridas que pareciam estar cicatrizadas”.

Sobre a capacitação, a oradora ressaltou os resultados imediatos. “Adquirimos um olhar mais amplo sobre empatia e sororidade. Creio que todo esse conhecimento que adquirimos nos torna pessoas melhores. Aprendemos que temos apoio e instrumentos para vencer nossas lutas. Aprendemos que o empoderamento vem através do conhecimento e como ser defensoras dos nossos direitos”.

Oradora da turma, Simone Miranda Soares

Ao finalizar, Simone Soares salientou a união das mulheres alunas e lembrou que “não somente o conhecimento, mas o amor também aproxima e fortalece as pessoas. Aprendemos, acima de tudo, que juntas somos mais e unidas, somos imbatíveis”.

A aluna Antônia das Dores Coelho fez os agradecimentos em nome das formandas. “Agradecemos à Defensoria, à Esdep, às instituições parceiras do curso e às nossas defensoras mestras. Compartilhamos nossa alegria com nossos familiares e com todas as mulheres que sofrem violência doméstica”.

Antônia das Dores Coelho fez os agradecimentos

Antônia Coelho também destacou o empoderamento e a união decorrentes do curso. “Agora, estamos fortalecidas e seremos capazes de ajudar outras mulheres. Formamos uma rede de mulheres empenhadas no trabalho voluntário em prol das famílias e, principalmente, das mulheres escravizadas pela violência doméstica. Nosso trabalho não terá renda e nem salário, mas terá as maiores riquezas, que são o amor e a vontade de ver crescer o número de mulheres egressas do egoísmo e de maus tratos”.

A formanda Marilene Ribeiro de Sousa expressou sua alegria em participado da capacitação e do convívio com as colegas. “Faculdade nenhuma ensina o que aprendemos aqui”, afirmou.

Formanda Marilene Ribeiro de Sousa

 Expectativas superadas

A diretora da Esdep, Hellen Caires Teixeira Brandão, manifestou sua satisfação em cumprir a meta de conclusão, ainda em 2017, do primeiro grupo do curso que começou a ser concebido em fevereiro. Segunda a diretora, desde o início, a turma superou as expectativas. “Foram abertas 40 vagas, 230 mulheres se inscreveram e, hoje, 114 se formaram”.

Diretora da Esdep, Hellen Caires

Hellen Caires destacou a importância dos parceiros para a realização da capacitação. “Sem os parceiros, a Defensoria não chega a lugar algum. Cada vez mais, a atuação em rede é a palavra da ordem. Muito obrigada pela parceria, ao longo desses meses de concepção e realização do curso”, afirmou.

Hellen Caires agradeceu a participação das alunas. “Desejamos que essa seja a primeira turma nesse formato e que este grupo tenha várias outras turmas. Contamos com vocês para multiplicar. Desejamos que o conhecimento adquirido tenha utilidade para a luta diária e que possa inspirá-las”, declarou.

Antecedendo à formatura, o grupo de dança “Adoração Ágape”, da aluna Zenaide Rodrigues dos Santos, fez uma apresentação do projeto “Eu faço a diferença”

A diretora lembrou que os recursos provenientes da Feira de Talentos, promovida pela Esdep, com exposição de produtos produzidos pelas alunas, possibilitou a aquisição dos canudos de formatura e dos bem-formados, com os quais, as formandas foram presenteadas.

Hellen Caires finalizou felicitando as alunas e afirmou que “a DPMG deseja que o Brasil e nosso estado de Minas Gerais tenham, cada dia mais, igualdade e cidadania para todos”.

A cerimônia contou também com apresentação do conto “As duas mulheres e o céu”, com a contadora de histórias Aline Cântia e o músico Fernando Chagas

A defensora pública e coordenadora pedagógica do curso “Defensoras Populares”, Samantha Vilarinho Mello Alves destacou que a realização do curso foi um desafio para a DPMG, devido ao pioneirismo da iniciativa, e manifestou sua alegria com a formatura da primeira turma.

Defensora pública Samantha Vilarinho

Samantha Vilarinho ressaltou a importância das defensoras populares, inclusive na disseminação do conhecimento. “Vocês são as melhores lideranças e multiplicadoras. A Defensoria Pública confia em vocês. Vocês serão os braços da Defensoria Pública, cada uma, com suas próprias experiências e sua história de vida. Parabéns a todas”.

O Hino Nacional foi executado pelo saxofonista, primeiro sargento da Polícia Militar de Minas Gerais, João Lúcio Marques

A diretora Municipal de Políticas para Mulheres, Viviane Coelho, representando a secretária Municipal de Assistência Social, Segurança Alimentar e Cidadania (SMASAC), Maíra Colares, destacou a importância do trabalho realizado pela Defensoria Especializada na Defesa da Mulher em Situação de Violência e do curso e, ainda, o valor das mulheres participantes. “Nós, mulheres, estamos no cerne da criação e, infelizmente, da opressão do sistema machista e patriarcal. Como defensoras populares dessa primeira turma, vocês estão na linha de frente do enfrentamento à violência e à opressão”, declarou.

Diretora Municipal de Políticas para Mulheres, Viviane Coelho

A secretária adjunta de Casa Civil e Relações Institucionais, Mariah Brochado, foi representada pelo chefe do Núcleo de Suporte a Projetos Institucionais e Assuntos Internacionais, Luiz Carlos Garcia, que destacou a dupla importância da capacitação, “por promover uma ação social ativa e por ser voltado para mulheres, que ainda têm muitos direitos negados”.

Luiz Carlos Garcia destacou a conformação e o direcionamento voltado para a promoção da mulher que tem sido fomentada pela secretária Mariah Brochado e citou o projeto “Mulheres por Minas”, parceiro do curso “Defensoras Populares” e que tem como plataforma impulsionar a mulher mineira.

Chefe do Núcleo de Suporte a Projetos Institucionais e Assuntos Internacionais, Luiz Carlos Garcia

Representando o Conselho Superior da DPMG, o defensor público e conselheiro Richarles Caetano Rios, expressou sua satisfação em ter atuado na Defensoria Especializada na Defesa da Mulher em Situação de Violência e destacou o papel da Especializada em fazer a mulher sair da situação de vítima e empoderá-la. Richarles Caetano parabenizou a Esdep, a Defensoria Especializada na Defesa da Mulher e as mulheres formandas.

Conselheiro Richarles Caetano Rios

A vereadora Áurea Carolina ressaltou que o curso “Defensoras Populares” “tem o chamado de nos colocar diante de causas. Defensoras de causas justas e democráticas”. Destacou que para se “defender causas é preciso sair do lugar de conforto, pessoal, da intimidade, e de lugares difíceis e violentos, que nos silenciam e nos fazem encolher, para erguermos as nossas vozes. Esse é o sentido de se apresentar como defensora de uma causa democrática”.

Vereadora Áurea Carolina

A subsecretária estadual de Políticas para Mulheres, Larissa Amorim, destacou a “potência do curso” e a importância de lutar pelos direitos das mulheres. “Quando uma mulher sabe de seus direitos, ela pode, não só, cuidar de si, mas também, cuidar das outras que estão ao seu redor”.

Subsecretária estadual de Políticas para Mulheres, Larissa Amorim

Representando a deputada estadual Marília Campos, a assessora parlamentar Fernanda Ataíde afirmou que a formatura das defensoras populares inicia um ciclo de enfrentamento à violência contra a mulher.

Assessora parlamentar Fernanda Ataíde

A solenidade contou também com a presença da defensora pública Eliane Medeiros, do assessor da Secretaria de Estado de Casa Civil e Relações Institucionais, Pedro Henrique Colombini Del Pino; da gerente do Centro de Apoio à Mulher Benvinda, Keite Rocha; da professora do curso Gláucia de Fátima Batista; além de familiares e amigos das formandas.

Clique aqui para ver mais fotos.

Clique aqui para ver a filmagem da solenidade.

“Defensoras Populares”

O curso, que iniciou em setembro, teve como objetivo a formação e a articulação de mulheres que se destacam como lideranças populares, para que busquem soluções para as demandas mais comuns de suas comunidades, notadamente, na defesa das mulheres vítimas de violência.

Durantes as aulas, foram abordados temas como a violência doméstica, bem como a violência contra mulheres negras e trans, a atenção psicossocial à mulher em situação de violência, o acesso aos serviços de saúde, o direito de família, as mulheres em situação de drogadição e o acesso à política.

O cronograma da capacitação contou com aulas expositivas e práticas, totalizando 52 horas-aula.

Além do empoderamento, o curso “Defensoras Populares” possibilita que as mulheres alunas contribuam para mudanças sociais, a partir dos núcleos nos quais estão inseridas.

A capacitação contou com diversos parceiros, entre eles, o Governo de Minas Gerais, por meio da Secretaria de Estado de Casa Civil e Relações Institucionais; a Prefeitura de Belo Horizonte; o Tribunal de Justiça; o Ministério Público; a Assembleia Legislativa; a Polícia Militar; a Cemig; a Associação dos Defensores Públicos de Minas Gerais (Adep-MG); e o projeto “Mulheres por Minas”.



Calendário de cursos e eventos

<< out 2018 >>
dstqqss
30 1 2 3 4 5 6
7 8 9 10 11 12 13
14 15 16 17 18 19 20
21 22 23 24 25 26 27
28 29 30 31 1 2 3