Encontro debate enfrentamento ao machismo institucional na Defensoria Pública


Por Ascom em 28 de março de 2017

A Escola Superior da Defensoria Pública (Esdep) promoveu na sexta-feira, dia 24, às 9h, no auditório da Defensoria Pública, a mesa de debate “Defensoria Pública no Enfrentamento ao Machismo Institucional”, com palestra da defensora pública do Rio de Janeiro, Lívia Casseres. O evento, incluído na programação do Mês da Mulher na DPMG, faz parte da proposta da Esdep de promover a capacitação e a formação de defensores públicos, servidores e estagiários, como diretriz para o aperfeiçoamento profissional e a melhoria da qualidade e eficiência no atendimento aos assistidos.

Compuseram a mesa que presidiu o evento, a defensora pública Lívia Linhares, em atuação na Defensoria Especializada de Defesa da Mulher Vítima de Violência; a diretora da Esdep, Hellen Caires Teixeira; a palestrante Lívia Casseres; o representante do Conselho Superior, Marco Túlio Frutuoso Xavier e a defensora pública Ana Flávia Soares Diniz, em atuação em Viçosa. O presidente da Associação dos Defensores Públicos (Adep), Eduardo Generoso, compôs a mesa de abertura dos trabalhos.

A defensora pública Lívia Linhares; a diretora da Esdep, Hellen Caires Teixeira; a palestrante Lívia Casseres; os defensores públicos Marco Túlio Frutuoso Xavier e a defensora pública Ana Flávia Soares Diniz

 

Ao iniciar o evento, a diretora da Esdep, Hellen Caires Teixeira Brandão, destacou a importância da capacitação para os defensores públicos e fez a apresentação da palestrante, Lívia Casseres, que é coordenadora dos Núcleos Contra a Desigualdade Racial e de Defesa da Diversidade Sexual e Direitos Homoafetivos da Defensoria Pública do Rio de Janeiro e integrante do Coletivo de Mulheres Defensoras Públicas do Brasil.

A defensora pública Lívia Casseres durante a palestra promovida pela Esdep

Em sua exposição, Lívia Casseres traçou um panorama histórico do modelo brasileiro de assistência jurídica estatal, abordando a legislação que instituiu e regulamentou a Defensoria Pública no país e as propostas para a definição de sua inserção no sistema de Justiça.

Público presente acompanhou com interesse a palestra

Na sequência, a palestrante discorreu sobre a evolução do conceito de acesso à Justiça e os paradigmas de Justiça e concepções de igualdade, quando mostrou como as questões econômicas e financeiras impedem o acesso à Justiça. Lívia Casseres questionou o modelo de acesso à Justiça e destacou como vem se processando o avanço do conceito de necessitado para vulnerável, permitindo a ampliação da base de atendidos pela defensoria Pública.

Ao falar sobre interseccionalidades, a defensora pública mostrou como classe, raça e gênero estão interligados e exemplificou com episódios de machismo e racismo institucional que impactaram o atendimento ao assistido no Rio de Janeiro, provocando mudanças na metodologia de atendimento da DPRJ.

Evento reuniu defensores públicos e convidados para debater o machismo institucional e formas de combatê-lo

Lívia Casseres encerrou sua palestra com trecho do poema “A noite não adormece nos olhos das mulheres”, de Conceição Evaristo: “A noite não adormece/jamais nos olhos das fêmeas/pois do nosso sangue-mulher/do nosso líquido lembradiço/em cada gota que jorra/um fio invisível e tônico/pacientemente cose a rede/de nossa milenar resistência”. No debate que se seguiu, foram discutidos temas como o atendimento ao público LGBT e a necessidade de ações afirmativas para o enfrentamento ao machismo institucional.



Calendário de cursos e eventos

<< out 2017 >>
dstqqss
1 2 3 4 5 6 7
8 9 10 11 12 13 14
15 16 17 18 19 20 21
22 23 24 25 26 27 28
29 30 31 1 2 3 4