Fórum de Estudos apresenta resultados da Justiça Restaurativa em Juiz de Fora


Por Ascom em 26 de outubro de 2017

A Defensoria Pública do Estado de Minas Gerais em Juiz de Fora e a Escola Superior da Defensoria Pública (Esdep-MG) promoveram, na sexta-feira, dia 20, o Fórum de Estudos “Os impactos da Justiça Restaurativa em Juiz de Fora e na produção acadêmica dos jovens profissionais do Direito”, realizado no auditório da Faculdade de Direito da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), parceira na iniciativa. O evento discutiu os efeitos que o Projeto “Além da Culpa” – Justiça Restaurativa para Adolescentes – produziu desde a sua implantação, junto a Defensoria Pública na Vara da Infância e Juventude de Juiz de Fora, bem como os impactos que a atuação do Projeto causou na produção acadêmica. O Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) e o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) apoiaram o evento.

O fórum contou com palestras que abordaram os resultados obtidos pelo projeto no período de 2015 até o primeiro semestre de 2017, assim como casos práticos com resultados satisfatórios, e a apresentação de trabalhos acadêmicos, desenvolvidos por estudantes de Direito. Participaram do encontro alunos das faculdades de Direito, Psicologia e Serviço Social, agentes socioeducativos, assistentes sociais, psicólogos e pessoas interessadas no tema.

A coordenadora do projeto, defensora pública Maria Aparecida Rocha de Paiva, considerou que “a implantação do Projeto Além da Culpa abriu portas para a disseminação da Justiça Restaurativa em Juiz de Fora. Desde seu início, muitos resultados positivos foram obtidos e isso, além de estimular a equipe, traz conforto para os envolvidos no conflito, além mostrar à sociedade que os procedimentos restaurativos trazem decisões concretas e efetivas, fazendo com que as pessoas percam a falsa ideia de impunidade”.

Para a defensora pública, “a realização de eventos como o Fórum de Estudos, ajuda a disseminar a Justiça Restaurativa no meio acadêmico, profissional e social, ao envolver a participação de estudantes, operadores da Justiça e pessoas da comunidade que se interessem pelo assunto”.

Da esquerda para a direita: O professor Leandro Oliveira Silva; a coordenadora da Regional Mata I, Ana Lúcia Gouvêa Leite; a defensora pública, Maria Aparecida Rocha de Paiva; a professora, Ellen Cristina do Carmo Rodrigues Brandão; e a comissária de Justiça, Ana Paula Silva



Calendário de cursos e eventos

<< nov 2017 >>
dstqqss
29 30 31 1 2 3 4
5 6 7 8 9 10 11
12 13 14 15 16 17 18
19 20 21 22 23 24 25
26 27 28 29 30 1 2